AirPods: maravilhosos, mas perigosos

Faz cerca de dois anos que eu comprei um par de AirPods, o fone de ouvido todo high tech da Apple. E, olha, eles são realmente maravilhosos: leves, com som bastante respeitável, bem mais rápidos do que outros fones Bluetooth pra conectar, desconectar e alternar entre dispositivos, boa autonomia de bateria, tempo de recarga insanamente rápido… entre outras qualidades.

Entre elas, o fato de serem lindões

Porém, após mais de dois anos de uso e algumas recentes consultas com otorrinolaringologistas, infelizmente eu acho que detonei minha audição. E realmente parece que foi em grande parte por causa desse caríssimo, lindíssimo e maligno hardware.

Apesar da culpa não ser exclusivamente dos AirPods, eu quero argumentar aqui que eles têm características de design que incentivam — ou ao menos facilitam — o uso prejudicial, aumentando as chances do usuário sofrer danos auditivos reais.

Os três tipos de fones

Antes de mais nada, vamos fazer aqui uma definição informal de três tipos de fones de ouvido.

O tipo 1 é o que eu gosto de chamar de “fone grande”: aqueles que cobrem a orelha completamente e que têm uma alça superior que passa por cima da cabeça.

Os do tipo 2 são os intra-auriculares. Aqueles fones que têm pontas de borracha ou de silicone e que você realmente enfia no ouvido.

Aos do tipo 3 eu me refiro como “fones duros”. São o estilo que a Apple sempre preferiu. Fones de ouvido pequenos, completamente rígidos, que se encaixam na sua orelha sem que você precise realmente enfiar no ouvido. Eles não têm pontas de borracha, de silicone ou de nada parecido.

Os AirPods são, claro, desse tipo 3.

E, tendo usado fones de boa qualidade dos três tipos, digo que os AirPods são, para mim, de longe, o melhor fone tipo 3 que existe. Mas isso não é bom.

Design prático e perigoso

A principal característica dos AirPods é que eles são extremamente práticos e convenientes. Eles não têm fios e são muito leves, o que significa que você coloca eles nas orelhas e deixa. Diferentemente dos fones normais da Apple, ou de qualquer outro fone com fio, ou maior, você consegue colocar os AirPods e esquecer deles. Eles não atrapalham, eles não distraem, eles simplesmente estão ali, e ali eles ficam. Quase invisíveis — ao menos para quem usa.

Graças à boa performance de bateria (e à recarga extremamente rápida no case), você consegue usar eles um dia inteiro, ou mais. Tendo feito isso, obviamente você deixa eles sempre carregados, para poder usar sempre. Melhor ainda é o fato de que você pode carregar o case enquanto usa o fone, para que o case esteja cheio de energia para rapidamente carregar o fone na próxima vez que você tirar.

Tudo isso faz com que o usuário tenda a usar os AirPods por mais tempo (no meu caso, bem mais tempo) do que jamais usou outros fones de ouvido.

Como eles não oferecem nenhum tipo de isolamento ou cancelamento sonoro, o usuário tende a usá-los num volume próximo do máximo. Eu usei os AirPods por muito tempo, e quase sempre em ambientes não silenciosos. Metrôs, cafés, andando na rua em meio ao trânsito etc. No meu caso, mesmo o uso em casa poderia ser considerado esse tipo de uso: moro em um apartamento de segundo andar em uma avenida bem movimentada. Para mim, era comum usar o fone a 80% do volume máximo, ou mais.

Leia o resto deste texto no meu blog pessoal (incluindo uma foto do resultado da minha audiometria).

The very definition of breadth over depth.

The very definition of breadth over depth.